Rádio 98FM é apontada sob suspeita de crimes trabalhistas e lavagem de dinheiro

De forma imparcial e investigativa o jornalista Geraldo Alves, fez uma grande matéria sobre algumas situações escandalosas que atingem a emissora de rádio 98FM da cidade de Eunápolis.

Segundo informações, a emissora funciona sem um responsável jurídico legal, sem uma conta bancária no CNPJ da Fundação Aracy Pinto(dona da concessão pública), não assina carteira de trabalho dos funcionários, não paga indenizações trabalhistas, deve uma fortuna em multas e execuções judiciais.

Como âncora da rádio, o pré-candidato a vereador Anaildo Colônia o qual tem seu programa jornalístico, que acontece ao meio-dia, foi citado semana passada de está sendo processado pelo prefeito de Eunápolis, em mais de seis ações.

De acordo com a matéria, o radialista Anaildo Colônia precisa denunciar a rádio 98FM, onde trabalha, por suspeita de crimes trabalhistas e lavagem de dinheiro. Mas ele prefere perder tempo falando de colegas que estão comentando da sua falta de conhecimento, o locutor da rádio 98FM e candidato a vereador Anaildo Colônia devia denunciar à Justiça os crimes supostamente cometidos pelos patrões dele Paulo Dapé e Cordélia Torres.

Anaildo Colônia sabe que a 98FM está prestes a ser fechada e com todos os equipamentos penhorados, mas prefere ignorar da Justiça e confiar nos políticos que impedem que a emissora se enquadre na lei. Estão penhorados: mesa de som, estúdio, antena, transmissor, computadores e que dentro de um mês ou pouco mais tudo vai a leilão.

Chegou a hora do Sindicato dos Radialistas se manifestar, da imprensa regional, da sociedade civil organizada. Certamente Paulo Dapé, está contando com a ajuda dos “padrinhos políticos”, mas dificilmente algum político vai querer assinar seu nome nesse crime inadmissível.

O Ministério Público Federal (MPF) precisará abrir um inquérito e averiguar para onde estaria indo o dinheiro que deveria ir para o INSS (previdência e aposentadoria), FGTS e PIS dos funcionários, entre outras obrigações subtraídas pelo casal Paulo Dapé e Cordélia Torres.

É preciso investigar se o dinheiro que circula na 98FM, inclusive os pagos por prefeituras e partidos e por entidades religiosas estão indo direto para a conta pessoal de Cordélia Torres ou da empresa de fachada de Paulo Dapé, a CIC, ou ainda uma terceira conta laranja ocultada para lavar o dinheiro. A Justiça começou a executar as cobranças descontando direto do pagamento dos patrocinadores que veiculam comerciais na emissora.

É inadmissível que uma emissora de rádio, concessão pública, ser usada de forma criminosa, desrespeitando os direitos trabalhistas, ocultando de forma fraudulenta informações fiscais, descumprindo decisões judiciais, praticando calúnias, difamações e assédio profissional, e ainda assim os donos dessa emissora seguem se apresentando a sociedade como políticos preocupados com a coletividade, enquanto a sociedade paga impostos, trabalha e cumprem as obrigações trabalhistas e fiscais.

98fmanaildo

Fonte: aGAZETABAHIA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *