Filho do ex-prefeito da cidade de Anápolis que agrediu ex-namorada não será preso por falta de prova.

De acordo com matéria publicada no site Mais Goiás a delegada responsável pelo caso disse que o agressor não será preso preventivamente.

O site Mais Goiás publicou uma matéria que fez com a delegada Ana Elisa Gomes da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), que está cuidando do caso do piloto filmado agredindo a ex-namorada.

Segundo a publicação feita nesta quarta-feira (26), a delegada afirma que o filho do ex-prefeito de Anápolis Eurípedes Junqueira, Victor Junqueira, 24 anos, que aparece nas imagens gravadas pela vítima, não será preso preventivamente.

A delegada explicou:
“Ele não está prejudicando o trabalho dos investigadores ou praticando outros crimes contra a vítima. O fato não foi em flagrante, ele tem residência fixa e compareceu à delegacia acompanhado de um advogado, portanto não ocorrerá a prisão por hora”, disse.

A delegada informou que Victor já vou ouvido pela polícia e que o caso está sendo tratado com discrição para preservar a vítima.

“O inquérito foi concluído na sexta-feira e remetido ao poder judiciário na data de hoje. A vítima foi orientada sobre as medidas protetivas de urgência enquanto as investigações estão em andamento”, concluiu a delegada.

Entenda o caso aqui:

Nas imagens feitas pela própria vítima depois da primeira agressão, é possível ver que o homem bate na mulher com socos e também a enforca.

Um vídeo chocante gravado pela própria vítima, mostra o piloto de avião Victor Junqueira, de 24 anos, agredindo brutalmente sua ex-namorada.

A advogada Luciana Sinzimbra de 26 anos, resolveu gravar depois de ter sido agredida e conseguiu registrar ainda mais violência por parte do homem que não aceitava o fim do relacionamento.

O caso aconteceu em Goiânia (GO) e é investigado pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

Victor, que é filho do ex-prefeito da cidade de Anápolis, em Goiás, Eurípedes Junqueira, desfere tapas e socos na mulher que tenta se defender.

“Você acha justo chegar e me bater?”, questiona Luciana.

“Super injusto, saca? Mas pelo menos acabou”, rebate Victor antes de iniciar a agressão.

Ele então dá um violento tapa no rosto da mulher e começa a chamá-la de “fingida”. Ele também a levanta pelo pescoço e começa a estrangulá-la.

O caso teve enorme repercussão nas redes sociais e Luciana se pronunciou dizendo que não havia autorizado as imagens, que já eram virais.

“A pessoa que teve acesso a esses vídeos foi sem minha autorização e divulgou sem medir as consequências. As medidas cabidas contra o agressor já foram feitas e ele irá pagar pelo o que fez”, declarou a vítima na última terça-feira (25).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Informamos aos nossos internautas que o Foco Atual agora além de possuir suas matérias próprias, agora também somos Agregador de Links
+