Porque a população tomou antipatia dos vereadores de Eunápolis?

O cenário politico em Eunápolis entrou em um verdadeiro colapso, e não poderia ser diferente, pois o município está atravessando uma terrível crise ética e moral dentro da política. A falta de esperança de uma nova politica, esquemas fraudulentos, falta de responsabilidade e uma desenfreada corrupção faz com que a cada dia a população se revolte com os seus representantes do poder legislativo (vereadores).

Recentemente o Brasil tirou do poder o partido dos trabalhadores (PT), sem entrar no mérito da questão, a maioria votou no candidato Jair Bolsonaro como esperança de mudança, para que se possa conseguir formatar uma ideia de respeito ao povo Brasileiro, uma vez que o PT foi se envolvendo a cada mandato em muitíssimos escândalos de corrupção.

E no cenário municipal não é diferente, em 2016 vários vereadores não conseguiram a sonhada reeleição, pois decepcionaram muito a população que os colocou no poder. No entanto em 2017, para a surpresa de muitos, os “novatos” também começaram a aprontar.

VETO A DELEGACIA DA MULHER

No mês de junho de 2017, o vereador e advogado Jota Batista propôs a criação de um núcleo especializado em atendimento a mulher vitima de violência domestica, o órgão foi denominado “Abrigo Maria da Penha”, neste abrigo a mulher teria a liberdade para relatar o ocorrido sem se sentir constrangida em ser atendida por um policial do sexo masculino, neste local a mulher teria acompanhamento psicológico, uma advogada de prontidão e todo aparato para que a mesma realizasse a denuncia, podendo também chegar a prisão do companheiro agressor. No entanto por iniciativa do prefeito Robério Oliveira, o projeto foi VETADO, o agravante foi que a câmara poderia ter derrubado este veto, fato que não aconteceu devido a algumas articulações e projeto foi engavetado.

Relatos como este são muito comuns na câmara de vereadores, desde a apresentação de indicações imbecis e pouco produtivas, até a aprovação de orçamentos altíssimos e escusos, exemplo disto é um empréstimo que o prefeito quer tomar junto a câmara de vereadores para quitar um acordo de 1.600.000.000 para a empresa Eunapolitana, que tem por diretor o ex-vereador Adelson Cirilo.

PEDALADAS FISCAIS COM O APOIO DOS VEREADORES

O vereador possui papel fiscalizador, é a câmara quem disciplina a maneira com o que o prefeito usará o orçamento público, qualquer gasto que não seja em beneficio da população poderia ser vetado pela câmara, no entanto nada disto ocorreu até hoje, ao contrario, mesmo sendo questionado e atacado por alguns vereadores de oposição alguns acordos são realizados e pagos com o dinheiro público. As licitações ocorrem descaradamente e sem nenhum comedimento.

Nas próximas semanas provavelmente seja aprovada a LOA (Lei orçamentária anual) onde será liberado aproximadamente 400 MILHÕES DE REAIS, para que o prefeito conduza da “melhor forma” o orçamento público. Vale ressaltar que o prefeito já foi afastado (sob acusação da policia federal) ministério público federal por desvio de aproximadamente 234 milhões de reais.

Nenhuma denuncia tem sido averiguada pela câmara de vereadores, é como se os representantes do povo fechasse os olhos para tudo que ocorrem, e isto pode ensejar em severas punições, a começar pela quantidade pífia de votos que pode lhes acometer em 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Informamos aos nossos internautas que o Foco Atual agora além de possuir suas matérias próprias, agora também somos Agregador de Links
+