CHEFE DE FACÇÃO CRIMINOSA ROMPE TORNOZELEIRA ELETRÔNICA E FOGE EM SAÍDA TEMPORÁRIA

Nesta terça-feira 27 de setembro, André Márcio de Jesus, que carrega o apelido de Buiú, que tem posição de chefia no MPA, uma organização criminosa que, segundo a polícia, é considerada violenta, e que atua com tráfico de drogas e roubo a instituições financeiras no extremo sul da Bahia, rompeu a tornozeleira eletrônica menos de uma hora depois de deixar o presídio de Lauro de Freitas, município da Região Metropolitana de Salvador.

Buiú, que tem 37 anos, saiu do presídio, beneficiado com saída temporária de uma semana, mediante uso de tornozeleira eletrônica. O detento deveria voltar ao conjunto penal no dia 04 de outubro de 2022.

Segundo a polícia, o equipamento foi instalado no interno por volta das 13h50. Às 14:30 horas, o sistema de monitoração constatou que o interno rompeu a tornozeleira na rodovia BR-324, nas proximidades da cidade de Candeias. O equipamento foi localizado e recuperado.

LIGAÇÃO COM O PCC

A polícia informou que Buiú é um preso de alta periculosidade, considerado liderança negativa.

Em 2017, conforme investigou a polícia, o MPA, em associação com o Primeiro Comando da Capital (PCC), realizou um assalto à base da empresa de segurança patrimonial Prosegur, no centro de Eunápolis.

Somente neste mês de dezembro, uma disputa entre as facções MPA, que tem origem em Porto Seguro, e o PCE, com atuação em Eunápolis, motivou pelo menos 10 homicídios na cidade de Eunápolis.

PRISÕES E FUGAS

Buiu foi preso pela primeira vez em novembro de 2014, no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, em uma operação conjunta da Polícia Federal e da Polícia Civil da Bahia. Na época, ele já ocupava a posição de ‘Ás de Copas’ no ‘Baralho do Crime’, da Secretaria da Segurança Pública do estado.


Prisão em 2014, no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo
Em agosto do ano seguinte, o traficante conseguiu fugir do presídio da Mata Escura, em Salvador, juntamente com outros 19 detentos.

O bandido foi recapturado em dezembro de 2016, pela Polícia Federal, na cidade de Bertioga, no litoral de São Paulo. Ficou menos de seis anos na prisão, voltando nesta terça-feira (27).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.