O povo deve pagar o preço pela inoperância da fiscalização de trânsito, ou seria irresponsabilidade da GWG?

No inicio da semana a população de Eunápolis foi surpreendida por um comunicado por parte da empresa GWG (Empresa de transporte coletivo de passageiros) em que ficou claro que a empresa estaria retirando 70% da circulação da sua frota de ônibus em sinal de protesto ao numero de motoristas que clandestinamente também realizam transporte de passageiros (Lotação), cobrando o valor de 3 R$, 0,20 centavos a mais do que a passagem no ônibus da empresa.

O diretor da empresa afirma que o impasse foi gerado em detrimento do numero de taxis irregulares e motoristas de lotação, tal serviço tem ganhado espaço no município de Eunápolis, uma vez que oferecem um serviço ágil e econômico (em relação ao taxi convencional), no entanto não pagam os tributos estipulados por lei para a circulação do veículo de transporte, provocando assim um grande gargalo para a empresa de transporte. Deste modo, após a empresa ter esgotado as possibilidades de estabelecer um acordo com a prefeitura, que deveria ser mais acintosa na fiscalização do transporte clandestino de passageiros, a diretoria da empresa decidiu retirar 70% da frota de ônibus.

TRANSTORNOS CAUSADOS

Ainda não sabemos se tal medida é permitida por lei, pois a empresa recebeu uma concessão pública e deliberadamente removeu parte de sua frota, ocasionando transtornos e onerando alguns estudantes dos bairros mais afastados do centro, bem como a alguns trabalhadores e comerciantes que necessitam do referido transporte. As redes sociais foram palco de discussões e denuncias em face da GWG.

Alguns usuários afirmam que antes da empresa se instalar no município eles já eram sabedores deste problema das lotações clandestinas e que tal atitude apenas lesou o ente publico que necessita do transporte público no seu dia a dia. Além disso, já foi noticiado que a empresa estaria cobrando uma taxa extra para que o passageiro pudesse transportar bagagens de tamanho expressivo, tendo em vista o espaço que ocupam dentro do ônibus.

A sociedade exige que os seus direitos sejam respeitados dentro da legalidade e sem querem causar prejuízos para a GWG, porém havendo punição legal cabível para quaisquer entidades que não esteja cumprindo com as suas obrigações, inclusive a própria Prefeitura Municipal de Eunápolis caso esteja deixando a desejar na fiscalização em face dos táxis clandestinos. O POVO NÃO DEVE PAGAR PELO DESSERVIÇO DE NINGUÉM.

foto por: queagito.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *