O governador da Bahia solicita aos prefeitos que fechem atividades não essenciais e fala sobre toque de recolher.

O atual governador da Bahia, Rui Costa, declarou nesta terça feira (16/02), que determinará o fechamento das atividades não essenciais novamente, com o propósito de diminuir a contaminação pelo coronavírus. Com o aumento de casos e óbitos provocados pela pandemia, ele pediu aos prefeitos que proíbam atividades que gerem aglomerações, e também ameaçou decretar toque de recolher nos municípios que se negarem a atender a sua solicitação.

“Nós vamos, sim, adotar medidas restritivas para outras atividades e, inclusive, analiso a possibilidade, se mantiver ao longo dessa semana essas mesmas taxas, de implementarmos o toque de recolher em todo o estado da Bahia para evitar o pior”, enunciou Rui Costa.

“Nós temos que fazer escolhas. Ou nós fechamos fábricas, comércios ou fechamos bares, restaurantes com ambientes confinados. Nós temos que escolher juntos. O que é melhor: chegar no colapso e fechar tudo ou escolher as atividades não essenciais? Eu entendo que, num momento em que está se morrendo tanta gente, não tem leito para todo mundo, ter um bar funcionando não é essencial. O que não é essencial acho que está no momento de fechar novamente para evitar o pior, evitar cenas de pessoas morrendo sem assistência médica”, declarou, acrescentando que o governo avalia a adoção de um “toque de recolher, dessa vez geral no estado ou nas regiões com alta taxa de contágio”, disse o governador.

Muitas pessoas ainda não foram vacinadas, então todo cuidado é pouco. Evitem aglomerações, lavem as mãos com frequência e usem álcool em gel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *