Em menos de 24 horas, Jair Bolsonaro fez muito pelas vítimas de Brumadinho! Será?

Ele bloqueou R$ 1 bilhão da Vale? Ele chegou em menos de 24 horas em Brumadinho?

 Segundo o texto, em menos de 24 horas o presidente já havia exigido o bloqueio de R$ 1 bilhão da Vale, além de diversas outras medidas exemplares! Será que isso é verdade?

Incorreto! Houve, sim, um pedido de bloqueio de bens no valor de R$ 1,6 bilhão, mas a solicitação partiu do Ministério Público do Trabalho (MPT) e cabe ao poder judiciário (e não o presidente) executar (curiosamente, esse é o mesmo órgão que Bolsonaro demonstrou – durante campanha eleitoral – desejo de extinguir caso fosse eleito). Além desse, o Ministério Público de Minas Gerais bloqueou mais R$ 5 bilhões da empresa responsável pela barragem. O governo de Minas Gerais também determinou o bloqueio de R$ 1 bilhão de bens da Vale.

250 milhões em multa? 

Verdade, mas… A multa foi aplicada pelo Ibama e não diretamente por Jair Bolsonaro, mas como o órgão é uma autarquia e é veiculada ao Ministério do Ambiente.  O Ibama também é um dos órgãos que estavam na mira de Jair Bolsonaro, que afirmou em dezembro de 2018 que pretendia acabar com “a indústria da multa” que o Ibama – segundo ele – vinha praticando. Durante solenidade de formatura de cadetes aspirantes a oficial do Exército na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende (RJ), Bolsonaro reafirmou:

“Não vou mais admitir o Ibama sair multando a torto e a direito por aí, bem como o ICMbio. Essa festa vai acabar”

O discurso do Governo em relação ao assunto passou a ser mais moderado após o desastre ambiental ocorrido em Brumadinho.

Reserva de hospital para vítimas? 

Verdade! O Ministério da Saúde reservou 150 leitos em hospitais  para atender às vítimas de Brumadinho.

 

Parceria do Ministério dos Direitos Humanos para cadastramento e envio de voluntários?

Impreciso! O Ministério dos Direitos Humanos agora é o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e não há nenhum programa (ou não encontramos) de cadastro de voluntários no site do órgão. Uma nota emitida pelo MMFDH no dia 26 de janeiro de 2019 afirma que representantes do ministério estão no local em parceria com uma rede de voluntários, mas não fala nada sobre como se cadastrar para o voluntariado.

Parceria para envio de doações? 

Informação vaga! Não encontramos algo que comprove que o presidente tenha criado algum tipo de parceria para o envio de doações. O site Poder 360 listou as campanhas de doações disponíveis. A defesa civil, a principal articuladora do recebimento das doações fica sob responsabilidade do governo de Minas Gerais. Além disso, a Caixa e o Banco do Brasil também disponibilizaram contas especiais para o recebimento de doações.

Ministros de todas as áreas estratégicas convocados e enviados de imediato para o local do crime? 

FALSO! Jair Bolsonaro determinou, sim, a visita de 3 ministros até Brumadinho:

  • Ricardo Salles, do Meio Ambiente
  • Gustavo Canuto, o Desenvolvimento Regional;
  • Bento Albuquerque, Minas e Energia;

O mais correto seria afirmar que ministros de diversas áreas se reuniram no gabinete do ministro da Casa Civil, pois foi isso que aconteceu, para juntos acompanhar a crise em relação à tragédida de Brumadinho. A reunião ocorreu no dia 28 de janeiro de 2019 (3 dias após o rompimento da barragem), em Brasília, e contou com Onyx Lorenzoni, ministro-chefe da Casa Civil, Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral), general Santos Cruz (Secretaria de Governo), Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional), almirante Bento Albuquerque (Minas e Energia) e Fernando Azevedo (Defesa).

E a pedido da primeira dama foi enviado 100 médicos veterinários para tratar os animais sobreviventes?

Falso! Conforme apurado pelo site Boatos.org, a publicação feita no Facebook como sendo da primeira-dama solicitando veterinários para socorrer os animais afetados pelo rompimento da barragem é falsa! Há voluntários (veterinários e não veterinários) ajudando a tratar dos animais em Brumadinho, mas essa ajuda não tem nenhuma relação direta com Michelle Bolsonaro.

Criou no local um comitê de crise? 

Verdade! No mesmo dia do rompimento da barragem, o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto criando um conselho de crise para tratar do caso de Brumadinho. O texto do decreto prevê que o ministro da Casa Civil irá comandar a operação em conjunto com os Ministérios da Defesa, Meio Ambiente, Minas e Energia, Direitos Humanos, Saúde

“O Comitê deve acompanhar as ações de socorro, de assistência, de reestabelecimento de serviços essenciais afetados, de recuperação de ecossistemas e de reconstrução decorrentes do desastre”, diz o texto.

De imediato determinou que tropas da 4a Brigada de Infantaria de Juiz de Fora/MG se deslocar-se para a região? 

Verdade! A sugestão foi feita pelo presidente, mas o governo de Minas Gerais não aceitou a ajuda do Exército!

O Presidente da República chegou no local em menos de 24 horas do fato? 

VerdadeO presidente Jair Bolsonaro visitou o local da tragédia no dia 26 de janeiro de 2019, poucas horas depois do rompimento da barragem. Bolsonaro disse em entrevista que fará tudo o que estiver a seu alcance pelas vítimas e pelo meio ambiente.

Apenas para efeito de comparação, em 2015 – quando uma barragem rompeu em Mariana (MG) – a então presidente Dilma Rousseff só foi sobrevoar o local afetado uma semana depois da tragédia. Em sua defesa, Dilma Dilma respondeu, após a visita, que ia lá “para fazer, e não só para visitar”.

Israel chegou para ajudar em menos de 24 horas do fato? 

Verdade, mas… Israel enviou 130 soldados para missão de socorro em Brumadinho, só que a tripulação só chegou na noite de 27 de janeiro (mais de 24 horas após a tragédia).

Conclusão

O texto que se espalhou através de publicações no Facebook elogiando os feitos do presidente em menos de 24 após a tragédia de Brumadinho mistura dados reais com exageros e algumas fake news!

COM INFORMAÇÕES DO: G1, PORTAL R7, E E-FARSAS.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *