É melhor não usar o desbloqueio por padrão no seu dispositivo Android

Hoje em dia, muitos smartphones Android têm leitor de digitais ou outra forma de biometria para desbloqueio. No entanto, às vezes você ainda precisa inserir uma senha — quando o aparelho é ligado, por exemplo. Se você usa o desbloqueio por padrão, talvez seja melhor trocar por um código numérico.

Em um novo estudo, 64% dos participantes foram capazes de reproduzir o desbloqueio por padrão após vê-lo uma vez. No caso de uma senha numérica de seis dígitos, essa proporção cai para 11%.

1.173 indivíduos participaram do teste. Eles assistiram a vídeos controlados mostrando pessoas desbloqueando seus smartphones em diversos ângulos. Então, eles tentaram adivinhar os padrões e as senhas numéricas.

Após uma visualização, 64% dos participantes conseguiram acertar o padrão de desbloqueio. Com duas visualizações, isso aumentou para 80%.

No caso das senhas numéricas (PINs), eles tiveram mais dificuldade: 11% acertaram de primeira; e 27% tiveram sucesso após assistir ao vídeo uma segunda vez.

Adam Aviv, coautor do estudo, explica à Wired que os padrões são muito mais fáceis de decorar — e identificar — que uma senha numérica. Afinal, nossos cérebros são feitos para reconhecer e lembrar padrões. Por isso, eles “são definitivamente menos seguros do que os PINs”.

E se você ainda quiser usar padrões de desbloqueio? Neste caso, o melhor a fazer é desativar as linhas que conectam os pontos. No estudo, apenas 35% dos participantes conseguiram identificar o padrão sem essas linhas.

Para tanto, basta ir em Configurar > Segurança, tocar na engrenagem e desativar a opção “Tornar o padrão visível”. (Isso pode ser diferente dependendo da sua fabricante.)

Repare, no entanto, que mesmo o padrão sem as linhas é menos seguro que uma senha numérica. Portanto, ainda é melhor configurar um PIN ou senha alfanumérica para seu smartphone.

O estudo foi publicado esta semana por pesquisadores da Academia Naval dos Estados Unidos e da Universidade de Maryland, Baltimore County, e está disponível aqui.

Com informações: Wired.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *