Cordélia concede primeira entrevista como prefeita eleita de Eunápolis

Na primeira entrevista à uma emissora de rádio, já na condição de prefeita eleita de Eunápolis, Cordélia Torres, do DEM, começou agradecendo a Deus e a uma extensa lista de colaboradores, aos quais fez questão de citar nominalmente e garantiu que não haverá lista de demissões nem perseguições aos servidores públicos. “A disputa acabou. Cordélia é a prefeita de todos”. Frisou.

A entrevista foi concedida a rádio FM Vida 104,9, na tarde desta terça-feira (17/11) conduzida pelos radialistas Sena Santos e Carlinhos Mototáxi e contou com a participação do presidente Nacional da Juventude do Partido Progressista, Neto Carletto, o vereador eleito José Carlos dos Taxistas, além de assessores, amigos e do Apóstolo Ronilton, diretor da emissora.

A eleição de Cordélia quebra a hegemonia de 32 anos de história de Eunápolis marcada pela presença de homens no comando do Poder Executivo. Ela também é a primeira governante nascida nesta cidade. De origem humilde, sua eleição virou um marco em uma cidade acostumada a ser liderada por homens da classe média alta, como médicos e empresários.

“Desde a primeira campanha eu lembrava minha história de uma menina que nasceu na Rua Primeiro de Janeiro, filha de uma família muito simples, que conseguiu se superar, estudar, fazer duas graduações em Administração e em Direito, uma oportunidade que nem todos conseguem e em penso que essa oportunidade tem que ser para todos. Que outras mães realizem este sonho da minha mãe”.

FORÇA DO POVO

Cordélia disse que foi o voto do povo quem venceu o medo. “O político precisa entender que a força é do povo e não se preocupe, a Eunápolis de Cordélia Torres será a Eunápolis do acolhimento, porque eu sei que o povo está sentindo falta de sentimento, de calor humano, de amor de filha”.

A prefeita eleita disse que seu discurso não tem o estereotipo do político profissional e voltou a negar que vai demitir, indiscriminadamente, a partir de primeiro de janeiro. “Muitas dessas pessoas são pais e mães de família e nós vamos governar para todos”.

“Toda mudança é salutar, mas eu tenho pedido aos nossos eleitores que não machuque aqueles que não votaram conosco. Eu sei que perder é ruim. Eu já perdi muitas eleições e sei como dói. Além disso, o voto não é obrigatório, o voto é conquista e eu louvo a Deus por ter conquistados mais de 51% dos votos da minha cidade”. Completou.

AGRADECIMENTO

Atendendo a vários pedidos de eleitores, que enviaram mensagens de aplicativo para a emissora, Cordélia prometeu realizar uma carreata de agradecimento passando por todos os bairros da cidade.

“Eu quero agradecer a todos, como eu sempre fiz. Mas a verdade é que ainda estou cansada da campanha na qual eu me doei muito, estava dormindo em média três horas de sono por noite e, quando parou a campanha, o corpo sentiu a necessidade de descanso”. Justificou.

Por fim, a prefeita eleita de Eunápolis citou nominalmente todos os vereadores também eleitos no pleito de domingo, 15 de novembro, saudou a presença de duas mulheres, que é outro marco importante na composição do Poder Legislativo de Eunápolis, e destacou a participação do marido dela, ex-prefeito e ex-deputado, Paulo Dapé na articulação política da grande frente de partidos e de candidatos a vereadores que resultado na sua vitória.

Segundo Cordélia, Paulo Dapé é elegível e está apto a ser candidato a qualquer cargo público, no entanto, disse ela, “ele abriu mão da sua própria candidatura em favor do sonho de vê-la eleita prefeita de Eunápolis”. Concluiu.

 

Por: Blog da Rose Marie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *