DOIS FISCAIS DE PORTO SEGURO SÃO PRESOS PELO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

Nesta sexta-feira 11 de março, o Tribunal de Justiça da Bahia, decretou a prisão de 02 fiscais da prefeitura de Porto Seguro.

De acordo com as informações, os fiscais Igor Carvalho Nunes Oliveira e Geomar Jesus Oliveira de Deus, conhecido como Gilmar da Cesta, já haviam sido presos no mês passado e liberados para responder o processo em liberdade após pagamento de fiança de R$ 100 mil reais a justiça.

De acordo a Justiça, Igor e Gilmar, estariam envolvidos em um esquema de cobrança de propina para liberação de alvarás irregulares, dentre outros crimes no município.

Ambos tiveram imediatamente os bens bloqueados pela justiça.

Segundo informações ainda não confirmadas, apenas um deles foi encontrado e preso, o outro estaria desaparecido.

Operação Saneamento

A grande operação que levou os fiscais à prisão é da Polícia Federal e do Ministério Público, com o Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), uma equipe da 5ª Promotoria de Justiça, em conjunto com Polícias Civil e Militar, em Porto Seguro/Ba.

A operação foi instaurada no dia 03 de dezembro de 2021, e tem como alvo irregularidades nas secretarias de Meio Ambiente e Obras do município.

Ainda de acordo as informações apuradas a Operação Saneamento tinha como objetivo principal desvendar crimes dos fiscais Municipais do Meio Ambiente e apurar irregularidades na administração pública.

Dentre os fiscais afastados, estavam Geomar e Igor.

As acusações direcionadas aos fiscais são de cobranças irregulares de multas, liberação de alvarás e até cobrança de propina para liberação de projetos.

Nas investigações, o Gaeco coletou evidências de um esquema de corrupção na secretaria citado de 2016 a 2017. O MP-BA aponta que os investigados teriam recebido vantagens indevidas para a concessão de licenças ambientais e para implantação de empreendimentos imobiliários na região.

Inicialmente 7 eram investigados, mas o MP chegou a conclusão que o ex-secretário de Meio Ambiente Benedito Gouveia e o chefe da fiscalização Mackxuel Campeche de Souza não faziam parte do esquema de corrupção, por isso, não foram incluídos na denúncia. Outras prisões podem acontecer a qualquer momento nos próximos dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.