PREFEITA DE EUNÁPOLIS CUMPRI ORDEM JUDICIAL EMPOSSANDO PROFESSORA FÁTIMA

Cumprindo determinação da Justiça, a prefeita de Eunápolis, Cordélia Torres, do DEM, publicou no Diário Oficial do Município, com data de 15 de março, o ato de convocação, nomeação e posse da professora Maria de Fátima Rocha Ferreira.

A decisão do juiz Roberto Costa de Freitas Júnior foi publicada no dia 3 de novembro de 2021. O não acatamento poderia gerar um ato de punição do chefe do Poder Executivo por desobediência.

Aprovada em concurso público em 2015, apesar de ter sido aprovada na nona colocação para o cargo de Professora de Geografia do 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental, a busca pelo ingresso na carreira do Magistério determinou uma verdadeira batalha na vida da professora.

Desde 2015 a professora Fátima luta pela investidura no cargo. É evidente que a demanda existia, tendo em vista que nos anos seguintes tanto o prefeito Robério Oliveira, bem como a atual alcaidessa realizaram chamada pública de contratos temporários (seletivados) para vagas de professora de Geografia.

LUTA EMBLEMÁTICA

A via crucis da professora Fátima terminou ficando emblemática na cidade de Eunápolis, na Costa do Descobrimento. Tantas vezes, sozinha, ela empunhou um microfone e foi para cima de uma carro de som, desafiar o poder.

Fora do chamamento público para o cargo ao qual foi aprovada em concurso, Fátima passou no seletivado, mas os dias de glória ainda estavam distantes. Em Maio de 2020, sem aviso anterior, o ex-prefeito Robério Oliveira suspendeu, unilateralmente, o contrato temporário de trabalho, deixando os seletivados da Educação sem salários em plena pandemia da Covid-19. Fátima não se rendeu, ao lado dos colegas foi para as ruas, em protesto que contagiou a cidade, pedindo o pagamento dos salários. Nunca se rendeu. Como na canção do Legião Urbana “Que caia o inimigo, então”…

Fonte: Rose Marie

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.